A ministra da Agricultura considerou estes dados "muito positivos", justificando-os com a "resiliência e capacidade de trabalho dos agricultores portugueses e de todo o setor agroalimentar"

Exportações agrícolas sobem 7,1% até agosto

Redação Agriterra15/10/2020
As exportações agroalimentares subiram 3,2% até agosto, enquanto as da agricultura avançaram 7,1%, indica o Ministério da Agricultura, citando dados do Instituto Nacional de Estatística (INE).
foto

"As exportações do setor agroalimentar estão a crescer. Os dados, positivos, foram revelados pelo Instituto Nacional de Estatística, que demonstram um crescimento de 10,4% em agosto de 2020 quando comparado com agosto de 2019″, apontou, em comunicado, o ministério liderado por Maria do Céu Antunes.

No acumulado dos primeiros oito meses do ano, em comparação com o mesmo período de 2019, estas exportações cresceram 3,2%. Já as exportações da agricultura progrediram, de janeiro a agosto, face ao período homólogo, 7,1%, enquanto, só no mês de agosto, a subida foi de 24,6%.
Por sua vez, as exportações do complexo agroalimentar (que inclui também a indústria agroalimentar) subiram em agosto 146 milhões para um acumulado de 4.443 milhões de euros.

No entanto, o saldo comercial do complexo agroalimentar registou uma quebra, passando de 2.666 milhões de euros em agosto de 2019 para 2.167 milhões de euros no mesmo mês do ano seguinte.

Por produto, as exportações de animais vivos cresceram 98,1% em agosto e 15,5% nos primeiros oito meses do ano, em comparação com o período homólogo, seguidas pelas de carnes e miudezas, que subiram 34,7% em agosto e 11,8% de janeiro a agosto.

Frutas, cascas de citrinos e de melões progrediram 18,5% em agosto, em comparação com o mesmo mês de 2019, e 7,2% até agosto. Vinhos e mostos, por seu turno, totalizaram mais 8,3% em agosto e 2,3% no acumulado.

Em agosto, produtos como leite, laticínios, ovos de aves e mel natural ganharam 19,4%, mas, nos primeiros oito meses do ano, cederam 3,1%. Também os hortícolas, plantas, raízes e tubérculos comestíveis ascenderam 5,7% em agosto, mas perderam 3,7% de janeiro a agosto.

Citado no mesmo documento, Maria do Céu Antunes considerou estes dados “muito positivos”, justificando-os com a “resiliência e capacidade de trabalho dos agricultores portugueses e de todo o setor agroalimentar”.

Para a governante, esta evolução demonstra ainda o papel da Política Agrícola Comum (PAC) e como as medidas implementadas face à pandemia de Covid-19 “foram fundamentais” para garantir a tesouraria e fundo de maneio aos produtores, criando ainda previsibilidade.

Agriterra TwitterNutriprado: nutriçao animal como bem essencial20 Years Jaba traduçao técnica especializada 4.0Agriterra Feria VirtualSyngenta: confíe a sua cultura à experiència da marca líder no OlivalAgriterra Facebook

Subscrever a nossa Newsletter

Password

Marcar todos

Autorizo o envio de newsletters e informações de interempresas.net

Autorizo o envio de comunicações de terceiros via interempresas.net

Li e aceito as condições do Aviso legal e da Política de Proteção de Dados

agriterra.pt

Agriterra - Informação para o agricultor de Portugal

Estatuto Editorial